26.1.15

A paz eterna

O coração nunca foi tanta coisa ao mesmo tempo, nunca sentiu tanto...
Porque quando o coração interage com a mente, o que ele sente multiplica-se por infinito!...
O querer do coração é ser tudo... quando ele se sente de novo tudo... pode ir descansar eternamente... na luz!
http://youtu.be/f1PwHFZzOGg

"Só na reflexão do espelho da água, ou do tempo que passa, se duplica e vem mostrar a eternidade: o céu se reflecte na terra." Dalila Pereira da Costa
A mente é o reflexo do espelho, é o tempo... só no tempo a eternidade se duplica e se mostra

Quem não acredita (que pode criar) a eternidade, não acredita na paz, nos seus próprios pés... e no seu misterioso movimento:
"(...) como se explica o próprio facto do movimento, que deste modo está em toda a parte sem estar em parte alguma? que é por toda a parte efeito, sem ter causa em parte alguma? como se concebe esse modo de ser, que, não tendo autonomia em nenhum dos pontos onde se realiza e realizando-se universalmente, parece ser e não ser ao mesmo tempo?" Antero de Quental
O mistério do movimento é o mistério do vento é o mistério da palavra é o mistério do sopro do coração... da noite e do mar, da CORUJA e da CORAGEM, da vontade do coração de estar em todo o lado, sendo alado

O puro movimento da vida é o que passa mais despercebido aos olhos da mente, pois só o sentir é capaz de se igualar a ele... de o criar!
O puro movimento da vida é a única coisa real dela!

 E a paz que fica é a de estar completamente unido ao movimento eterno da vida! O do coração!
A paz da morte é Peixes, o movimento da vida é Aquário
Sim, a paz é morte, por isso que poucos querem a paz: a morte!
Mas não a querendo também não vivem!... Porque esta é a morte conduzida pela vida!...
É preciso morrer para nascer de novo, a todo o mo-vi-mento