27.1.15

A razão é o invisível que se apropria miseramente do visível

O mito é o invisível que se esconde misteriosamente no visível
A razão é o invisível que se apropria miseramente do visível
Porque sem mistério, a vida perde a sua profundidade, e sem profundidade a vida perde a sua verdade: a imprevisibilidade!
É pela sua imprevisibilidade que a vida revela a sua riqueza espiritual:
"Divino espírito santo
senhor do imprevisível
me toma pois da verdade
só quero o que for incrível."
Agostinho da Silva
 
A diferença fundamental entre mito e razão está aí:
O mito vive NO visível - NU, a razão vive DO visível
O mito é livre, a razão é escrava
 
O homem não vive NA terra, vive DA terra, e isso fá-lo ser um mendigo... e pior, um mendigo que se orgulha de viver a explorá-la, sem buscar uma nova forma de relação com ela e com a vida
O homem precisa de ver além (de si), esta forma de vida é insustentável e, sobretudo, pouco bonita
Porque amor que é amor, não vive DO outro, vive NO outro
Vida que é vida, não vive DE NADA, vive EM TUDO