27.1.15

A beleza como critério de escolha do sentir solta o poeta que há em nós!

Vem a Religião e diz: escolhe entre o bem ou o mal
Vem a Ciência e diz: escolhe entre o certo e o errado
Vem a Arte e diz: escolhe entre o belo e o não belo

Se o homem olhasse a vida com o coração, o seu critério de escolha seria o belo
A beleza como critério de escolha do sentir traz leveza ao ser
O belo é o elo que nos une ao nível da alma

A beleza como critério de escolha do sentir solta o poeta que há em nós!
É Vénus, aqui, lembrando a sabedoria da alma... Neptuniana

Toda essa coisa de dizer asneiras a torto e a direito, não é uma questão de certo ou errado, é uma questão de beleza (ou da falta dela)

"O coração tem razões que a própria razão desconhece"
É que a razão não tem rosto, não tem sensibilidade...
A corazão baseia-se em sentir a harmonia, a razão em pensar a desarmonia