22.1.15

A cara-vela... cara... mente... vela... corpo

A Balança é essa ponte... que abana... qual barco em maré tormentosa... mas ela não pode abandonar o barco... o barco é que a leva para o outro lado do mar... onde o mar é luz... terra de luz!
A Balança é mente e corpo, pensar e sentir... balança balança para lá e para cá... ao ritmo do vento que é tudo

 
 
A cara-vela... cara... mente... vela... corpo
A mente-corpo é a caravela que é o homem que navega pelo mar instável que é a terra... se a abandonas, mesmo que seja em nome de algo elevadíssimo, afundas-te...
Não podes... essa é a cruz que te foi dada... levar a caravela até ao fim
Até o fim do quê?... Até ela conseguir ser tudo o que o mar é, até ela se igualar ao mar, à terra... até ela ser Aquilo que os une... até ela ser só o Sentir que a une à Vida

 
... até ela ser TRANS-PARENTE! Como a água, como o céu!
Até ela ser um Aquário, não feito de vidro duro, mas flexível como a própria água que ele contém