25.1.15

O sentir devolve-te à eternidade, o criar ao infinito

Não esperemos mais: sintamos e criamos, que isso é ser: estar fora do tempo e do espaço

Para o embrião o seu tempo e espaço é o ventre da Mãe
Para o homem o seu tempo (t) e espaço (e) é o ventre da Terra
Quando se dão à luz, o t e o e desaparecem - do ter
Ficam só o sentir (s) e o criar (c) - do ser e da criação...
 

O sentir tira-te do tempo, o criar tira-te do espaço
O sentir devolve-te à eternidade, o criar ao infinito
O sentir é Peixes, o criar é Aquário!
Sempre os mesmos suspeitos (moram debaixo dos peitos) - o mesmo!